Regimes Totalitários

Foto tirada por Jeff Widener, mostrando um protestante colocando-se a frente de uma série de tanques na China, país totalitário.

Foto tirada por Jeff Widener, mostrando um protestante colocando-se a frente de uma série de tanques na China, país totalitário.

Qual é a definição de estados totalitários ?

Com a ascensão do nazifascismo, muitas pessoas relacionaram o conceito de “estados totalitários” às características exclusivas desses regimes que remontam à 2ª Guerra Mundial. Deve-se perceber, entretanto, que “totalitarismo” não representa – necessariamente – adesão, por exemplo, ao corporativismo fascista ou ao antissemitismo nazista. Assim, consideramos a seguinte definição de estados totalitários:

“Estados totalitários são países que possuem características como o poder centralizado, a censura aos meios de comunicação e um forte culto ao líder da nação, embora outras características como o socialismo e o uso da violência para a repressão à opositores do governo possam estar presentes nessas nações.”

Exemplos como a China e a Coréia do Norte mostram o socialismo aliado com esse tipo de regime, enquanto, por exemplo, o Sudão (e, mais recentemente, o Sudão do Sul) vive uma triste história de massacres e ditaduras, embora seja uma nação decididamente capitalista.

Omar al-Bashir – Sudão

Omar al-Bashir, protagonista da grande crise em Darfur, até hoje é o único líder global a ser alvo de um mandado de prisão pelo Tribunal Penal Internacional, expedido em 4 de Março de 2009. É considerado por muitos como o grande remetente de armas para os janjawid, facção criminosa que está diretamente envolvida no conflito nas terras sudanesas.

A guerra ainda está em andamento, sendo que o governo sudanês, embora negue publicamente relação com o genocídio, apoia os janjawid. A matança é causada por rivalidades entre árabes (janjawid) e não-árabes. Como Omar al-Bashir restringe severamente a liberdade de imprensa, o conflito acaba por não ser transmitido para o mundo.

Than Shwe – Mianmar

Mianmar localiza-se em uma área onde já houve intensa colonização inglesa. O antigo país, Birbânia, tornou-se independente do Reino Unido e adotou o socialismo. A junta militar da nação, atingamente liderada pelo general Ne Win, fez um golpe de estado e transformou o país em União de Mianmar.

Desde então, um grupo  de militares, liderados pelo Presidente do Conselho de Estado Than Shwe e pelo primeiro-ministro Thein Sein, mantém uma ditadura militar na nação asiática, criada por Saw Maung.

Esse governo ditatorial não foi aprovado pela comunidade internacional, sendo que a Organização Internacional do Trabalho procurou processar na Corte Internacional de Justiça o governo por crimes contra a humanidade, devido à prática de trabalho forçado. O Conselho de Segurança da ONU procura priorizar os acontecimentos em Mianmar nos seus debates.

Ali Khamenei e Hassan Rouhani – Irã

O Irã, conhecido por suas alianças diplomáticas com o Brasil, tem causado inúmeros problemas para a diplomacia tupiniquim. Em defesa de um suposto projeto nuclear iraniano com fins pacíficos, o Itamaraty exagerou em seu discurso e, atualmente, luta para superar as repercussões negativas da aliança com o Irã durante o governo Lula.

O país asiático é governado com base nas leis ditadas pelo Alcorão, uma espécie de “bíblia” do islamismo. Ele é chefiado supremamente pelo aiatolá Ali Khamenei, mas também há o presidente Hassan Rouhani no comando, como presidente.

Kim Jong-un – Coreia do Norte

A Coreia do Norte apresenta um tipo de governo que a difere das outras nações estudadas aqui. O governo centralizado nas mãos de um ditador, Kim Jong-un, é constantemente acusado de manter campos de concentração e de causar a morte de seus opositores.

Além disso, o país, juntamente com o já abordado Irã, mantém um projeto nuclear escondido das inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica. A nação também é a única a nomear um presidente morto, Kim Il-Sung, como “presidente eterno”.

Relatos indicam que a admiração dos norte-coreanos ao seu líder deve-se ao fato de que o antigo presidente do país conseguiu desenvolvê-lo usando o dinheiro fornecido pela cooperação com a antiga URSS. Recentemente, uma repórter constatou que, com o intuito de preservar energia e de empregar a população, quase não existem sinais de trânsito no país, sendo o tráfego coordenado por moças escolhidas pelo presidente.

Uma ideia sobre “Regimes Totalitários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s